Notícias

17/11/16

Aspectos inerentes ao impacto social e econômico dos Registros Públicos é abordado no segundo dia do XVIII Congresso Brasileiro

É preciso se preocupar com a divulgação de futuras estatísticas que venham a impactar o meio social e econômico

0003Ainda pela manhã foi discutido sobre os “Aspectos inerentes ao impacto social e econômico dos registros públicos”, a mesa foi presidida por Maurício Leonardo, presidente da Finorsc, as exposições ficaram por conta do desembargador do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, Marcelo Guimarães e o debatedor do tema foi o presidente do Colégio Notarial do Paraná, Angelo Volpi.

O desembargador salientou que é preciso produzir estatísticas confiáveis e que a Anoreg-BR vem em busca deste papel, para mostrar o que a sociedade lucra com os procedimentos do judiciário o que se aproveita com a capilaridade e a segurança jurídica. “O CNJ começou a se preocupar em divulgar dados, pois no Brasil ainda não há o hábito de realizar estatísticas confiáveis. A Anoreg-BR e os institutos membros também devem se preocupar com estas estatísticas, para mostrar o que os estados brasileiros e a sociedade lucram. Com as informações sendo divulgadas esperasse que abram mais portas e novos caminhos para aproveita  a capilaridade e a segurança dos trabalhos notariais e registrais”, afirmou.
0002
Guimarães em sua ministração ainda destacou a pesquisa realizada pelo Datafolha, em que os cartórios foram considerados como a instituição mais confiável e avaliados como ótimo em relação as outras entidades avaliadas.  “O que chama atenção da pesquisa é a palavra confiável. A população confia nos cartórios isto não é de hoje, não há dúvida que as atividades dos tabeliões constituem relevantes serviços públicos que visam garantir a autenticidade, cumplicidade, eficácia e segurança jurídica preventiva nos negócios jurídicos, levando em conta assim a preservação da ordem social e como elemento de conservação da memória de um povo”, afirmou.

Ao fim da sua exposição o magistrado pontuou os desafios presentes no Brasil que precisam ser trabalhados constantemente, são eles: avanços da gratuidade; instabilidade jurídica no conceito de registros públicos e o impacto das novas tecnologias.

Em seguida, foi aberto ao público para serem feitas perguntas e esclarecer as dúvidas pertinentes ao tema abordado.

Com Assessoria de Imprensa da Anoreg-BR